sábado, 17 de março de 2018

SOBRE O BLOG - Hiato

Em outra ocasião, eu teria começado essa postagem com uma coisa mais engraçada, divertida, talvez uma grande bobagem, e tudo, mas, para esse caso, penso que seja melhor manter um tom consistente e um pouco sério.

Vamos direto ao ponto: o blog vai passar por um hiato de tempo indeterminado...
O motivo por trás disso é bem simples, inclusive, e não é um motivo digno de grande preocupação.


Nos últimos meses, venho observando mais do que nunca diferentes estatísticas relacionadas ao que faço, com o Hyrule Map sendo um dos pontos mais importantes para mim neste caso. E, em frente a tudo o que venho observando, um dos pontos que mais me chama atenção é justamente o quão não acessados são os guias feitos...
Resumindo, de maneira bem crua, o número de visualizações de cada guia - na verdade, de cada postagem - vem sendo consideravelmente minúsculo para compensar o trabalho de fazê-los.
Tenho a impressão de que essas produções infelizmente não vem sendo interessantes de se ler ou, até mesmo, assistir.

Foi em frente a tudo isso que parei pra pensar, e, depois de alguma deliberação, cheguei à conclusão de que o blog vai entrar em hiato; e, quando digo isso, estou me referindo a virtualmente tudo (ao menos que eu crio por aqui): notícias, colunas, guias, tudo (e isso inclui o guia do Skyward Sword)...
Quero aproveitar esse tempo, da maneira que puder, para analisar como criar um conteúdo novo que agrade mais.

Admito que realizar tal hiato não me agrada, nem um pouco; embora eu tenha feito coisas assim no passado (que os leitores veteranos com certeza notaram quando aconteceu), nunca foi algo que aconteceu com um anúncio ou coisa assim. Dessa vez, no entanto, ao observar que o trabalho que venho fazendo infelizmente não vem sendo visto, acabo que vendo uma grande necessidade de simplesmente parar e dar um tempo. Acredito que isso vai fazer bem, no fim das contas. 

Peço desculpas a todos os leitores pelo motivo menos que nobre... Mas, bom, não posso simplesmente continuar fazendo tais guias (que, devo lembrar, costumam exigir mais do que uma hora de dedicação ininterrupta, em especial os detonados) e conteúdos em geral sem estar animado com isso...
E, ei, poderei compartilhar, ou até publicar, algo na nossa Página do Facebook vez ou outra. Quem sabe?

Voltarei no futuro, e espero apenas que seja logo. Seja qual for o caso, vejo vocês quando for a hora!

sexta-feira, 16 de março de 2018

Detonando! The Legend of Zelda: Oracle of Seasons - Enfrentando o General das Trevas

Vou começar dizendo: estamos no final do jogo! Pra deixar a coisa ainda mais empolgante, estamos já na cara do chefe final, e, ao final dessa parte, você poderá dizer que terminou Oracle of Seasons sem nenhuma dificuldade! ... Ou ao menos que terminou Oracle of Seasons...
Para garantir seu sucesso nessa parte, eu recomendo fortemente que você tenha consigo uma Poção Mágica (eu sei que o preço delas é absurdo, mas, vale a pena) e a Noble Sword, que é a segunda espada do jogo, e o prêmio da nossa Sequência de Trocas. Exploramos como conseguir as duas coisas nesta parte do guia

Bom, nós já podemos, sim, ir direto para o chefe final (ao menos depois de passar na Maku Tree, rapidinho), mas, para esta parte, vamos nos sentar e falar dos possíveis pedaços de coração que poderão estar faltando para você. Por mais estranho que isso possa parecer, o número de pedaços que está faltando depende muito do que você fez em sua jornada, mas, mais detalhes para isso depois!

Vamos começar indo falar com a Maku Tree.

A GRANDE SEMENTE MAKU



Siga direto para Horon Village (usando as Gale Seeds, de preferência), e vá falar com a Maku Tree. Lembra que ele disse que teria algo para nos dar, agora que temos as oito Essências? Pois é!

Chegando lá, você vai dar de cara com um Maku Tree consideravelmente maior do que o que tínhamos visto no começo da aventura. Parece que as Essências realmente tiveram um bom efeito nele!
Pois bem. Ele vai passar um tempinho conversando com você, chamando você de "Verdadeiro Herói", a última esperança de todas as coisas vivas e coisa e tal... Sério, o nível de melodrama é quase insuportável.

Depois disso tudo, ele dará a você a Huge Maku Seed, o último essencial deste jogo. Com ela, poderemos nos infiltrar na base de operações de Onox! Você meio que podia ir antes, mas, uma "barreira de trevas" impediria o seu progresso.



Então, com isso, uma breve cena vai rolar, com Onox provocando você e dando a sua risada maléfica do mais puro mal!! HAHAHAHA...ha... Enfim...

E, honestamente, é isso! Podemos agora ir direto para o lugar do chefe final. No entanto, conforme eu havia prometido antes, há poucos pedaços de coração restando. Na verdade, pelos meus cálculos, é altamente provável que você esteja precisando de apenas mais três (ou, de mais um, caso você tenha adquirido os pedaços dados por Maple ou pelas sementes Gasha, que, conforme vimos antes, são bem aleatórios).

sexta-feira, 9 de março de 2018

Detonando! The Legend of Zelda: Oracle of Seasons - O Labirinto da Espada e Escudo

Este é o último calabouço de Oracle of Seasons e, como tal, este será o ápice dos desafios do jogo: as salas estão cheias de inimigos chatos, alguns quebra-cabeças requerem que você pense fora da caixa, chaves estão onde se menos espera, por aí vai.

Esse lugar também é bem grande, então, se prepare para andar muito chão e, possivelmente, até se perder!

NÍVEL 8 - O LABIRINTO DA ESPADA E ESCUDO

A BÚSSOLA


Vamos começar do começo e, logo aqui, já tem alguns truques que você precisa ter em mente.

Logo na primeira sala do calabouço, você já deverá estar vendo uma parte congelada no chão; isso significa que, mais à frente, estaremos lidando com superfícies de gelo e todos os problemas que vêm com esse tipo de coisa (principalmente controles escorregadios).
Bom, engula seu terror, porque nós nem começamos ainda!

Siga para a sala da frente, e três Wizzrobes vermelhos estarão esperando, mais uma Anti-fairy. Derrote-os, se quiser, e siga pela porta que está do lado direito.

A sala na qual você vai chegar tem um quebra-cabeça bem simples. Use seu estilingue para atirar uma Ember Seed na estátua  que está aqui nessa sala, e pegue a Small Key #1 que vai cair bem ao seu lado (você precisará quebrar alguns vasos para chegar até ela).

Com essa chave, retorne para a sala dos Wizzrobes e siga pela passagem do norte (indo pelo caminho da esquerda mesmo, ignore as escadas da direita por enquanto).

Passe pela ponte nessa sala suspeita (que iremos explorar com tudo mais à frente), e, na próxima sala, os nossos amigos magnéticos Magnites estarão de volta. Derrote-os como puder e passe pela porta destrancada ao norte.

Uma nova chave se esconde aqui! Para acessá-la, você precisa derrotar todos os inimigos. Derrubar os Zols não é um problema muito grande, mas, o Hardhat Beetle não será tão óbvio.
Primeiro, use algumas bombas para destruir os blocos rachados no canto superior da sala (creio que um mínimo de três bombas será necessário), depois, usando as Luvas Magnéticas, use a Esfera N de lá para esmagar o Hardhat Beetle. Feito tudo isso, a Small Key #2 vai cair dos céus.

Tenha certeza de que você pegou as duas chaves, porque iremos dar uma baita duma volta aqui.

Logo na próxima sala (a da direita), vários Sparks (seriam aqueles inimigos que, se derrotados com o bumerangue, se transformam em fadas - eu meio que estive chamando-os pelo nome errado esse tempo todo) estarão indo de um lado para o outro. Use-os para recuperar seus corações se precisar, e continue firme na direita.

Na próxima parada, use uma chave para destrancar o bloco que estará bloqueando passagem para algumas escadas; se quiser, você pode pular isso e ir logo pela sala da direita, usando uma mistura da Roc's Cape com as Pegasus Seeds, mas, vamos nos ater ao método mais "comum" aqui.

Descendo as escadas, você chegará em uma sala com muitos buracos. Tome cuidado com os Keeses e Ropes, e siga para o canto inferior esquerdo, que é onde a saída está.
Mais armadilhas na sala seguinte, com pilares rolando de um lado para o outro, alguns Keeses e, para piorar as coisas, um Wallmaster. Procure ser rápido aqui e siga para as escadas no canto inferior direito.

Você chegará em uma seção 2D bem chatinha de passar. Aqui, você precisa pular por um rio de lava, enquanto duas bolas de fogo inexplicavelmente ficam girando, bem rapidamente, ao redor da única plataforma que você pode usar para chegar ao outro lado. Parece chato? É porque é chato.
Cronometre bem o seu pulo e atravesse essa tela (porque, sério, esse é o único jeito).
Na próxima, a coisa é mais simples: a plataforma pela qual você precisa pular é maior, e as bolas de fogo saem ocasionalmente da lava. Mais uma vez, cronometre bem o seu pulo para atravessar, e suba a escada do outro lado.

Cansou da lava? Que pena! Tem mais! Use as plataformas à frente para atravessar a lava, evitando também um pilar que fica rolando pra lá e pra cá, e um Zol que pode ser bem inconveniente.
Indo pelo sul, mais uma sala com armadilhas: dessa vez, duas bem grandes...! Desvie delas com a ajuda da Roc's Cape, e pressione o botão que está no lado direito da sala; isso deverá destrancar uma porta no canto inferior direito, vá e passe por ela.

Logo na sala seguinte, além dos Zols e Magnites, você deverá estar vendo algumas escadas imediatamente acima de você, certo? Desça-as e você será levado para uma sala congelada com alguns Spiked Beetles esperando, além de alguns Keeses e muitos, mas muitos, espinhos.
Do outro lado do caminho congelado da sala, há um baú contendo a Bússola.


Discussões - Quatro coisas que quero no próximo Smash

Eu comecei a escrever esse artigo na época em que um Smash Bros. para Switch ainda era rumor!
Agora, no entanto, há mesmo um jogo vindo para o sistema.
Por isso, vamos sentar aqui e listar quatro coisas que seriam ótimas em um próximo Smash e, dessa vez, irei focar em bem mais do que apenas personagens.

Então, vamos começar!

1. Mais Personagens das séries clássicas



Eu entendo que há sempre novos personagens em cada nova interação do Smash Bros.; também entendo que há uma grande demanda sempre por novos personagens, e que tal demanda por vezes não é cumprida mais por questões de tempo e esforço.
O que eu não entendo é porque algumas séries continuam com a mesma representação de sempre, e não evoluem daí. Do que estou falando? Talvez do fato de que franquias como Metroid, F-Zero e Wario continuam tendo apenas um representante, praticamente desde o primeiro jogo, Zelda e Kirby, que estão dentre os carros-chefes da Nintendo, continuam com o mesmo time praticamente desde Melee e Brawl (embora o Toon Link seja diferente o suficiente para merecer o seu lugar, mas, ainda assim), e algumas séries até perderam membros durante os anos, como Star Fox e Mother (que reganhou um membro via DLC).



Ao mesmo tempo, no entanto, a franquia Fire Emblem ganhou tantos personagens em apenas um jogo, que foi francamente ridículo (Robin, Lucina, Corrin, até o Roy retornou via DLC!).
Tipo, meu argumento é simples: as franquias maiores da Nintendo certamente merecem o mesmo amor! Por que não adicionar mais personagens de Metroid (que vai bem além de somente o Ridley!), cadê as outras raças de Zelda, cada uma tendo vários fãs (se a Sheik, que basicamente só apareceu em um jogo, aparece em Smash, porque não outros personagens?), há mais corredores no circuito F-Zero que só o Capitão Falcon, os membros do time Star Fox são diversos o suficiente para terem diferentes movimentos e habilidades, também, sabia?!

Vou deixar bem claro: eu não odeio os personagens que foram adicionados no último jogo, mas, a falta de representação em séries bem grandes e aclamadas certamente fez falta... Muita falta...


quinta-feira, 8 de março de 2018

Nintendo Direct - Data de lançamento de Hyrule Warriors, anúncio de Super Smash Bros.

No Nintendo Direct de hoje, uma série de notícias inacreditavelmente grandes apareceu, incluindo amiibo de Dark Souls, Okami HD, Crash Bandicoot, e por aí vai.
Mas, vamos nos focar no nosso tema e falar das duas coisas referentes ao que cobrimos aqui no blog!

1. Hyrule Warriors: Definitive Edition lança no dia 18 de Maio, exclusivamente para o Nintendo Switch!

2. Em um trailer bem disfarçado, foi feito o anúncio de um novo Super Smash Bros. indo para o Nintendo Switch! O trailer, que começa com dois Inklings, de Splatoon, lutando, termina com a Inkling Girl olhando para uma bola de fogo à distância.


A bola de fogo em questão é o Símbolo da série Smash, e, logo depois, vemos as silhuetas de Mario e Link, e, adivinha só, esse é o mesmo Herói de Breath of the Wild.


Finalmente, a tela corta para branco, e vemos o logotipo do novo jogo, ainda sem um nome específico.


A melhor parte é que o jogo será lançado em 2018. No entanto, ainda não se sabe se será apenas um port da versão de Wii U e 3DS, lançada em 2014, ou se será um jogo novo (tendo como base o visual de Link).

Obviamente, estamos de dedos cruzados para novas informações!

Você pode conferir o Direct na íntegra logo abaixo:


Detonando! The Legend of Zelda: Skyward Sword - A Harpa da Deusa

Este guia em particular está sujeito a atualização. 
Última mudança em 08/03/18 

Cara, por onde eu começo...? Acho que falando que essa parte que iremos detalhar a seguir será relativamente curta, e que iremos visitar lugares que já visitamos antes.
A boa notícia, no entanto, é que iremos dar um grande progresso na história, e, além de finalmente vermos o retorno triunfal de um personagem, vamos enfrentar um inimigo bastante poderoso.

Então, eu pensei bastante sobre isso tudo... Originalmente, essa parte seria um guia até o próximo calabouço, mas, considerando que você terá muita coisa para fazer, foi melhor dividir tudo em duas partes, para que possamos explorar tudo sem deixar as postagens grandes demais. OK? OK.

Comecemos saindo de Lanayru e retornando para o céu.

O APRISIONADO

Se você quiser, pode aproveitar a oportunidade para passar por Skyloft e comprar algumas coisinhas, além de adquirir e falar com alguns personagens, e tudo, mas, vamos deixar isso para um pouco depois, visto que iremos passar um bom tempo por lá ainda nessa parte.

Então, vamos ganhar tempo e ir direto para a região de Faron, que é onde nós queremos ir.
Sem perder tempo, siga para a coluna de luz verde e se prepare para pousar perto dos Sealed Grounds- ei, que barulho é esse?

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Como o mais gracioso e maravilhoso dos mísseis, Groose, aquele valentão do começo do jogo que nós nunca mais nem vimos, vai aparecer do nada, e vai pular direto em você.

É uma cena divertida, na verdade...

Resumindo tudo o que vai rolar, Groose vai cair na superfície com você e, depois de passar um tempo chocado com as suas novas descobertas, ele vai se recompor, e dar ao lugar um nome digno e absolutamente perfeito: Grooseland.
Ele também vai liberar você de seu serviço e vai aceitar o fardo de ser o grande herói lendário de Grooseland... MAS, como você deve estar imaginando, não é bem assim que a coisa funciona...
Independente do que Groose tiver a dizer, retorne para o Sealed Temple, que foi onde conhecemos aquela adorável senhora lá no começo do jogo.
Você também pode falar com Gorko, que vai estar por aqui, mas, simplesmente siga para o templo.

Logo quando você entrar, uma outra cena vai mostrar Groose sendo posto no seu devido lugar, e boa velhinha falando que sabe como encontrar Zelda e Impa (que, você deve lembrar, desapareceram em um portal na última parte). Para chegar a isso, no entanto, ela explica que você terá de passar por vários desafios e uma nova jornada, e tudo vai começar com você usando aquela linda Harpa que Zelda lhe entregou logo antes de sair de cena.


Usar a harpa é uma tarefa relativamente fácil, embora você precise de um pouco de ritmo para usá-la de maneira adequada. A senhora do templo vai lhe ensinar a usá-la de maneira bem simples. Tudo o que você precisa fazer nesse breve tutorial é balançar levemente o Wiimote de um lado para o outro, indo na mesma velocidade que a trança em forma de pêndulo da velhinha está indo. Para ser efetivo, você deve fazer um movimento amplo e suave, mexendo seu braço todo, de preferência.

Quando você tocar a Harpa da maneira certa, a velhinha vai lhe colocar em outro desafio.
Mais uma vez, será necessário tocar a Harpa, mas, você deve fazer no ritmo em que o anel de luz (que foi criado logo aos seus pés) está indo. Mantenha a mesma velocidade nele e, dessa vez, além da velhinha fazer um coro bem bacana, você ouvirá uma nova versão da Ballad of the Goddess, e essa é muito boa, na verdade. Oh, e um grande tablete de pedra vai se formar atrás de você, mas, shmi, detalhes.
Antes que a velhinha explique exatamente o que raios esse bicho é, um tremor violento vai ocorrer lá fora.

Siga na direção dos Sealed Grounds (pelo portão duplo) e a velhinha apontará aquele pilar lá no fundo da espiral como a causa disso tudo.

Desça até lá, e se prepare para ver uma das introduções de chefes mais ÉPICAS da franquia inteira.

CHEFE: THE IMPRISONED



Vamos começar devagar... O Aprisionado é um dos chefes menos divertidos de Zelda, e isso se dá por uma série de fatores que explicaremos nas partes que se seguem.
O que acontece aqui, no entanto, é algo bem único. Diferente dos outros chefes até agora, você tem um limite de tempo para deter o Aprisionado; se ele subir a espiral inteira e chegar até o Sealed Temple, o jogo acaba.

Para detê-lo, no entanto, nós temos algumas opções interessantes. A primeira delas, e, honestamente, a mais simples, é atacar os dedos macios que o monstrão tem. Atacando e destruindo todos eles (e desviando da pisoteada "elétrica" que ele vai fazer se você ficar parado feito um mané) fará com que ele perca seu equilíbrio e vá ao chão.
O outro método é simplesmente subir a espiral mais rápido do que ele (usando as correntes de ar que estarão disponíveis a todo lugar) e pular na cabeça dele.

Essas duas opções servem para que você tenha acesso ao pilar que está preso na cabeça dele. Chegando perto, use um ataque vertical que empurre o pilar para dentro do Aprisionado (ou seja, ataques para baixo caso você tenha subido na cabeça - ataques para cima se você tiver derrubado-o). Com três golpes, o Aprisionado vai se recuperar, forçar o pilar para fora e fará uma pequena investida (bastante perigosa, também), na qual ele ficará completamente intocável. Aproveite essa oportunidade para ir subindo a espiral e ficar na frente dele a todo instante.

Quando ele parar sua investida, no entanto, a luta vai recomeçar normalmente, então, repita a operação de antes para acertar o pilar mais três vezes.
O problema vai começar na próxima parte, mais para quem está atacando ele pelos pés, no entanto. Ao invés de simplesmente deixar você acertar os dedos dele, o Aprisionado vai estar soltando descargas elétricas o tempo todo nos pés, o que forçará você a atacar e desviar bem rápido, alternando entre os pés para não se machucar. Mesmo assim, a ideia é a mesma: derrube-o/suba na cabeça dele e force o pilar pra dentro.

Depois dessas três tentativas, o Aprisionado será selado, e você precisará retornar para o fundo da espiral de novo.

Aproxime-se do pilar, que estará flutuando, e use um Skyward Strike; finalmente, mexa o Wiimote nas direções que o jogo vai mostrar (diagonal direita para baixo, diagonal direita para cima e esquerda) e essa batalha estará concluída.

Mais uma cena, e uma bem longa, também, vai começar. A velhinha vai lhe explicar que o tablete de pedra que você ergueu é chamado de um "Portão do Tempo", e que, para sequer acessá-lo, será preciso fortalecer a nossa espada, que ainda está muito fraca para fazer alguma coisa.
Ela também vai sugerir que você converse com alguém para descobrir qual o próximo passo (coisa que Fi aprova, adicionando que esse alguém pode muito bem estar em Skyloft).

Ah, o Groose está no meio também, e ele está um pouco chateado por não ter conseguido fazer nada.

Se você quiser, quando a cena acabar, pode retornar para os Sealed Grounds, onde você verá Groose abertamente frustrado, correndo para uma parede e esmurrando-a enquanto se sente um inútil. Não se preocupe muito com ele, Groose é um rapaz grandinho, e ele vai se recuperar logo, logo.

Outra coisa que você pode fazer é seguir para o caminho de Faron, e falar com Gorko, que vai acabar introduzindo uma nova mecânica. Conforme ele vai dizer (e eu vou explicar logo para ganhar tempo), em alguns lugares de Grooseland (sim, vou me referir à superfície como Grooseland daqui em diante, deal with it), será possível ver algumas borboletas voando em conjunto. Se você puxar a Harpa (o que você faz usando o botão superior dos direcionais) e tocar brevemente uma nota, uma Gossip Stone vai surgir do chão, e lhe presenteará com um tesouro comum. Tenha isso em mente enquanto estiver viajando por Grooseland.



Seja como for, retorne para o céu. Temos bastante coisas a fazer em Skyloft...

sábado, 3 de março de 2018

The Legend of Zelda: Breath of the Wild - Análise



Apesar de seu grande número de títulos, e de fazer parte de uma franquia sempre em expansão e de grande qualidade, poucos são os jogos de Zelda que conseguem realizar grandes marcos de maneira ativamente grandiosa.
O primeiro Zelda, seguido de A Link to the Past, Ocarina of Time e Twilight Princess são, em tese, os principais títulos que conseguiram alcançar tal status, e por motivos respectivamente distintos. O último jogo da série a ser lançado, Breath of the Wild, se une a todos eles, também por um motivo bem particular.

Antes de começarmos, até porque eu sei que muitos irão pular boa parte da análise para ir direto ao veredito, vou apenas dizer o seguinte: The Legend of Zelda: Breath of the Wild é um dos melhores jogos da franquia até hoje, potencialmente sendo superior a muitos outros títulos mais famosos, não exatamente pelo que ele faz de diferente, mas, pelo que ele faz de certo.
Se você ainda não sabe se deve pegar o jogo, mesmo já tendo passado todo esse tempo, e, se você tem os recursos para isso, minha recomendação é que você compre e aproveite.

Eu também gostaria de dizer que deixei a análise sem spoilers, não exatamente para preservá-lo em mistério para quem ainda não jogou, mas, porque, se fôssemos entrar em detalhes até nessas partes, honestamente, essa seria uma análise muito longa e muito cansativa.
Enfim, vamos começar.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

SOBRE O BLOG - Não teremos nenhum conteúdo novo nesta semana (26/02 - 02/03)

Alô, senhoras e senhores! Espero que vocês tenham tido um final de semana bem bacana, e espero que essa semana que segue seja bastante produtiva e divertida para todos vocês.

Estou passando aqui com esta breve postagem para dar alguns avisos pertinentes ao que vai acontecer nessa próxima semana aqui no blog.
Antes de qualquer coisa, vou só alertar que não é nada de muito alegre.

No caso, essa semana que segue será, basicamente, a primeira semana completa de aula que eu terei. Para que eu possa ter uma boa noção de como será a minha carga semanal de deveres, eu não irei trabalhar em nenhum dos nossos guias durante esse período.

Não se preocupem, no entanto, pois estaremos voltando à ativa por completo na semana que vem (assumindo que dê tudo certo, é claro)!

Uma coisa que eu poderei fazer esses dias (mas que não posso garantir, já que minha memória não é das melhores) é finalmente criar a "subpágina" (acho que podemos chamar assim) do Breath of the Wild, uma coisa que eu venho devendo há mais de um ano e, vendo como o jogo vai completar um ano neste sábado, é um tanto apropriado fazer isso agora.

Então, é isso aí. De novo, espero que vocês tenham uma semana fantástica. Até a próxima!

TL;DR - Não vai ter novos guias essa semana, mas, talvez, vou adicionar uma subpágina pro Breath of the Wild.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Detonando! The Legend of Zelda: Oracle of Seasons - As ruínas do Templo

Eu vou começar dizendo que você está cada vez mais perto de finalmente terminar essa grande aventura. Também vou dizer que o caminho para a próxima, e última, Essência será um caminho bem mais simples dos que nós tivemos de andar até agora! Pode até ser confuso na sua primeira vez jogando, em especial por conta de alguns pequenos detalhes que não haviam sido explorados no jogo até então, mas, como você tem este guia, essa parte vai ser bem tranquila de passar! E bem rápida, também!

Então, vamos começar logo essa festa... Com um pequeno desvio!

Agora que você tem a Roc's Cape, será possível adquirir aquele pedaço de coração que você com certeza viu quando estava andando pelo cemitério mais cedo! É, eu sei que você quer aquilo!

UM PEQUENO DESVIO

POR UM PEDAÇO DE CORAÇÃO


Primeiro, vamos sair do cemitério. O que você precisa fazer é retornar para aquela casinha na qual você teve de mudar a estação dessa região litoral de inverno para verão. Lembra onde fica?
Pois bem, vá até lá e mude a estação dessa área para o Outono. Fazendo isso, retorne para o lugar onde as vinhas que levavam você ao cemitério ficavam (mais precisamente, uma tela à direita delas). Você deverá notar, sem dúvidas, uma cavernazinha (a qual você pode até ter tentado explorar antes, mas, percebeu que tinha um buraco imenso lá dentro e não pôde fazer muita coisa).


Bom, finalmente chegou a hora de explorar essa tal caverna! Entre nela e use a Roc's Cape para cruzar o enorme buraco que vai estar lhe esperando lá dentro (use as Pegasus Seeds para ganhar um impulso a mais, se você não estiver se sentindo muito seguro).
Tomando cuidado com a parte frágil do chão, empurre as pedras que estarão por lá de maneira que você possa passar (basicamente, as duas pedras mais próximas do buraco: a da direita vai para cima, e a da esquerda vai para a... esquerda), e suba as escadas.

Você terá chegado ao cemitério, novamente, e com a estação de Outono, que é o que nós queremos. Agora, siga para a entrada do calabouço, mas, não entre. Ao invés disso, preste atenção nos dois cogumelos que estão à direita da cripta. Basta tirar um deles e seguir pelo caminho que eles estavam bloqueando para conseguir o seu Pedaço de Coração!


quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Hyrule Warriors: Definitive Edition - Veja um novo trailer do jogo

Hyrule Warriors 3.0 tem um novo trailer! Checa ele aqui!



O jogo chega no dia 22 de Março para o Japão, e na Primavera Americana para o resto do mundo, exclusivamente para o Nintendo Switch!

Você pode checar uma lista das coisas que estarão presentes nessa versão (que é o conteúdo das duas versões anteriores, mais algumas adições) clicando aqui!

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Detonando! The Legend of Zelda: Skyward Sword - Lanayru Mining Facility

Eu queria só começar dizendo que o motivo de alguns dos títulos desse guia estarem em inglês e outros em português é mais por questão de espaço e estética. Pode parecer inacreditável, mas "A Instalação de Mineração de Lanayru" não soa tão bem quanto "Lanayru Mining Facility", ao menos não para os propósitos deste guia.
Bom, deixemos essas questões linguísticas de lado! Você não veio ler esta postagem pra saber o que soa bem em português ou inglês!

O nosso foco hoje será o terceiro calabouço de Skyward Sword e esse será mais próximo do que vimos lá em Skyview Temple, em termos de estrutura geral: vamos andar muito, ir e voltar para algumas salas, e há vários tesouros para se encontrar em alguns cantos (especialmente se você está carregando a Treasure Badge consigo).

Sem mais delongas, senhoras e senhores, bem-vindos à

LANAYRU MINING FACILITY

PRIMEIROS PASSOS

Vamos começar dizendo que esse lugar é, ao mesmo tempo, um dos pontos mais altos do jogo e um dos mais baixos. Mais altos porque diversas ideias interessantes se formam aqui; mais baixos porque todas as salas estão infelizmente pintadas da mesma cor, basicamente.

Bem, a sala de entrada já vai requisitar um pouco de atividade sua. Logo quando você entrar, será possível ver algumas das estátuas com cestas que nós papocamos bastante na última parte.
Vou ser direto e dizer que quase tudo aqui é opcional, e não dará nada de muito empolgante a você, com a exceção de alguns possíveis pequenos tesouros se escondendo atrás de algumas das estátuas.



Essa sala, assim como quase todas as outras do calabouço, também conta com a presença de um novo inimigo, chamado Aracha. Esses pequenos monstros em forma de escorpião são, no geral, bem frágeis, podendo ser derrotados com apenas um golpe. Dito isso, sua forma de ataque, apesar de não ser necessariamente perigosa, pode ser um tanto irritante. Basicamente, o que você quer evitar é que eles se atirem em você (se eles conseguirem lhe segurar, eles farão justamente isso: lhe segurar, e vão impedir que você se mova com muita liberdade).
De novo, virtualmente todas as salas do calabouço contêm esses carinhas, então, sua melhor opção é se manter atento a eles e despachá-los quando necessário.

O seu foco, no entanto, precisa estar na passarela do outro lado da sala. Perceba que, cercando a tal passarela, há duas partes de areia movediça (ambas possuindo um Spume elétrico cada).
Seguindo pela areia da direita, você poderá chegar a uma alavanca que, se puxada, vai dar acesso a um baú nesta mesma sala, contendo 20 rupees. Indo pela esquerda, no entanto, não é uma boa ideia se você não derrubou a estátua de cesta que está no final da mesma.
Para isso, use o Beetle para levar uma Bomb Flower (a que está em uma coluna logo em frente à areia serve) e despejá-la na estátua, causando a explosão que procuramos e transformando a estátua em uma linda plataforma.
Siga para lá e o seu prêmio será outra alavanca que, dessa vez, abre a porta para o resto do calabouço, que é exatamente o que estamos procurando.

Passe pela porta, e você chegará a uma grande ponte em forma de cruz, com caminhos para a esquerda, direita, e a frente. Ignore o caminho perpendicular (não apenas porque há um Staldra em cada um), e vá em frente.
Você encontrará uma elevação (que pareceu ter uma escadaria em algum ponto do passado), com duas áreas com caixas em cada lado. Siga para o lado esquerdo desta estrutura, e você verá algumas caixas perfeitamente... empurráveis. Você pode destruir as caixas de madeira com bombas, se quiser, mas, é seu foco empurrar a caixa de metal para próximo da estrutura, de maneira que você possa subir na mesma por meio da caixa.
Fazendo isso vai lhe garantir acesso à porta que nos levará para a sala seguinte.

Essa sala que você vai acessar é uma das que mais vamos revisitar durante nossa estadia aqui. Logo quando você entrar, salve seu jogo se assim preferir (já que há uma daquelas amáveis estátuas logo à esquerda). O caminho que você quer seguir agora, no entanto, é o da direita e, ao fazer isso, não só você vai bater de frente com um Chuchu elétrico (que eu recomendo que você despache rápido), como também deverá notar uma plataforma com várias caixas de madeira logo acima dela. Precisamos pular para aquela plataforma, mas, as caixas estarão no meio. Por sorte, aqui há uma coluna com uma Bomb Flower, que você deve guiar, por meio do Beetle, para cima das caixas, onde ela vai explodir e abrir espaço.
Pule para lá, agora, e suba as escadas. Logo quando você chegar lá em cima, alguns Keeses elétricos vão dar as caras.



Não creio que tenhamos enfrentado essa variação de Keese ainda, então, basta dizer que esses carinhas são a mesma coisa dos de fogo, a principal diferença sendo que eles dão choque quando atacam. Derrote-os, se quiser, e abra o baú que estará aqui em cima para a sua Small Key #1. Aqui também há uma escadaria, mas, por enquanto, ela está bloqueada. Vamos ignorá-la no momento.

Com essa chave, retorne para a sala anterior, e, dessa vez, adivinha só, teremos de enfrentar um dos Staldras para passar.
O que você quer é o caminho da sua esquerda (ou da direita, se você estiver olhando pelo mapa). Derrote o Staldra para ganhar passagem (detonando as três cabeças dele com um só golpe, assim como foi em Skyview Temple) e destranque a porta trancada com sua chave novinha.

A próxima sala será palco de uma das partes mais bacanas do calabouço, conforme veremos logo.